01Neste último sábado, dia 24 de janeiro de 2015, Romana Maria e Jadson Moura, que é cadeirante há 7 anos devido à bala perdida,

vieram de Garanhuns no Pernambuco para visitar o Projeto Acesso Cidadão pela 2ª vez ( a primeira foi há três anos).
O motivo de terem vindo novamente ao Projeto é que se sentem acolhidos. Para Romana “a experiência é ótima, pois onde moramos não tem acessibilidade nem esportes adaptados. Lá, ele não tem muito contato com outros cadeirantes, apenas um amigo que é cadeirante há 22 anos”. De acordo com Jadson: “o Projeto é muito bom, conheci pelo Facebook e aqui foi a primeira vez que entrei no mar depois do acidente”.

A ASSESSORIA E CONSULTORIA PARA INCLUSÃO SOCIAL
Por: Patrícia Duarte – Assessoria e Comunicação – Projeto Acesso Cidadão


02

Zabella Gobbi Arantes de 22 anos é cadeirante, pois tem Mielomeningocele, uma má formação na medula.

Ela é estudante de psicologia, fala LIBRAS e já participou de um musical adaptado em Brasília chamado “Noturno”. Musical este que foi criado por Oswaldo Montenegro em São Paulo há 10 anos e levado para Brasília pelo seu irmão Deto.
Izabella sempre imaginou que seria um paraíso ir a uma praia que tivesse cadeiras adaptadas para banho de mar. Encontrou um projeto no Rio de Janeiro, mas não estava funcionando.
De Brasília, ela veio com os pais para a casa de parentes aqui em João Pessoa. Souberam do Projeto através da Sra. Isabel, procuradora geral da união, que mora próximo ao Acesso Cidadão.
De acordo com Izabella, em Brasília há um projeto adaptado que tem canoagem e stand up, mas nunca participou. Para ela, o Projeto Acesso Cidadão: “é perfeição, a experiência é incrível porque era um sonho ter uma praia acessível. Cadeiras, banho de mar, essa acessibilidade chamou minha atenção. Com a cadeira de rodas é difícil e aqui tem não só a cadeira, mas outras atividades bem legais e ainda conhece pessoas e troca experiências”.

A ASSESSORIA E CONSULTORIA PARA INCLUSÃO SOCIAL
Por: Patrícia Duarte – Assessoria e Comunicação – Projeto Acesso Cidadão.